sábado, 22 de novembro de 2014

Geração de valor: Lições para quem já experimenta o sucesso.

Alguns reis da antiguidade designavam uma pessoa cuja única função era lembrá-los algumas vezes por dia de que eles não eram deuses.

O maior desafio para lidar com o poder e o sucesso, seja ele político ou econômico, é manter-se sóbrio, ciente de sua responsabilidade e, principalmente, de que entre o que tem o cetro nas mãos (símbolo do poder) e o mais simples “súdito” do reino, que tem nas mãos uma vassoura, não há diferença alguma.

Não são poucos os registros na história daqueles que caíram nessa armadilha e se entorpeceram pelo poder, pela fama ou pelo dinheiro. Gente que perdeu seu fundamento, deixou de lado sua essência e naufragou iludido pela miragem provocada de si mesmo por causa da notoriedade que deteve por um tempo.

Sem exceção, qualquer ser humano que perde sua essência, um dia, diante da ressaca da realidade, experimenta momentos de depressão em sua velhice, durante o reencontro compulsório com sua humanidade, diante de um leito de morte. Ali, fica muito claro que todos nós somos iguais e sem escapatória.

Por outro lado, aqueles que mantêm viva a essência e não se iludem com sua condição temporária em sua breve existência, não somente vão desfrutar de suas conquistas ao lado das pessoas que amam como terão uma grande chance de passarem ilesos pelo poder e chegar ao final de suas vidas com um senso de missão cumprida.
*Geração de Valor.

Pau dos Ferros: Após ser agredido, conselheiro tutelar mostra ferimento e desabafa.

Após ser agredido, o conselheiro tutelar, Jeferson Carlos Tavares, desabafou nesta sexta-feira (21) em sua conta no facebook e mostrou hematomas no rosto. "tentei segurar a criança e socorrer a assistente social; porém, fui surpreendido com os familiares raivosos e agressivos me dando chutes, socos e me atingindo na testa com um objeto cortante, chegando a abrir um ferimento", escreveu Jeferson.

Ainda de acordo com informações repassadas pela vítima, após o incidente, o mesmo procurou a 4ª DRPC e registrou o boletim de ocorrência. "Após as agressões, foi feito todo o procedimento na 4ª DRPC de PAU DOS FERROS/RN. E aqui agradeço ao Dr. Inácio pelo brilhantismo, profissionalismo e dedicação que tem direcionado a segurança da nossa cidade", disse.



Abaixo, confira na integra o desabafo completo de Jeferson Tavares:

"Meus nobres amigos, vivemos em uma sociedade cada vez mais distante daquela ideal, das nossas utopias, para se viver. É visto por todos a que nível de criminalidade estamos chegando, a que ponto os nossos jovens, crianças e adolescentes estão chegando. Do Oiapoque ao Chuí, nos rincões do nosso Brasil, a violência, a droga, a criminalidade e tantas outras patologias sociais estão encruadas nas artérias da sociedade.
 

As instituições, pensadas e idealizadas para prevenir, remedir e punir, estão ficando obsoletas diante da evolução das mazelas sociais. A instituição primeira, a que precisa ser revista de forma imediata, ela que rege nossas ações na sociedade, a nossa CARTA MAGNA, a CONSTITUIÇÃO, precisa se encontrar com os problemas da modernidade, com as novas patologias sociais, diferenciar de forma objetiva e concreta quem é cidadão e criminoso, quem, de fato, pode viver em sociedade e aqueles que absolutamente representa um risco a sobrevivência da mesma. Dessa forma, as intuições e leis infraconstitucionais serão atualizadas e adequadas à modernidade.
 

Sou membro do CONSELHO TUTELAR DE PAU DOS FERROS/RN. E aqui abro um parêntese para fazer citação feita por muitos que não conhece o trabalho do CONSELHEIRO TUTELAR e suas ATRIBUIÇÕES, muitos dizem: “o Conselho Tutelar não servi para nada; é um meio de vida”. Até entendo a indignação e em que situação as pessoas dizem isso, ademais, o maior problema é que algumas pessoas não procuram, não buscam conhecimento para entender determinado órgão, para assim ter direito de criticar e julgar as ações do conselho tutelar. Não posso concordar com essa afirmação por muitos motivos que me fundamentam; PRIMEIRO: o CONSELHO TUTELAR é o primeiro a ser procurado quando os pais, irresponsavelmente, dizem não poder mais com o SEU FILHO REBELDE; SEGUNDO: O CONSELHO TUTELAR é o primeiro a ser procurado quando acontece abuso, exploração ou qualquer tipo de violência sexual contra menor; TERCEIRO: o CONSELHO TUTELAR é sempre procurado por outros órgãos, instituições, escolas e etc. para firmar parcerias e auxiliar em situações adversas. Assim sendo, pior seria SEM O CONSELHO TUTELAR.
 

Hoje, sexta-feira, depois de recebermos uma denúncia no CT de que uma criança de 12 anos estava aterrorizando um bairro da cidade, e que, essa mesma criança, já havia furtado uma moto e sua última prática infracional, em companhia de outro menor, foi o de ter roubado uma residência em nossa cidade, chegando até mesmo de deixar um casal de idoso sob ameaça e subtraindo dessa casa entorno de 20 mil reais; nos dirigimos até o local com o objetivo de tentar ajudar essa criança, vítima e fruto do reflexo do mau comportamento social de seus pais. No entanto, não fomos bem recebidos, a criança chegou a nos ameaçar e nos intimidar com pedras. Daí, retiramo-nos e procuramos ajuda com a equipe do CREAS, que de pronto veio nos ajudar.
 

A equipe do CREAS, que no momento era formada por uma PSICÓLOGA E ASSISTENTE SOCIAL tentou conversar com a criança que de imediato usou de violência e agressão para com as mesmas, chegando até mesmo a dar chutes e socos na assistente social. Nesse momento tentei segurar a criança e socorrer a assistente social; porém, fui surpreendido com os familiares raivosos e agressivos me dando chutes, socos e me atingindo na testa com um objeto cortante, chegando a abrir um ferimento.
 

Após as agressões, foi feito todo o procedimento na 4ª DRPC de PAU DOS FERROS/RN. E aqui agradeço ao Dr. Inácio pelo brilhantismo, profissionalismo e dedicação que tem direcionado a segurança da nossa cidade; e que, por uma vez ou outra é cobrado por alguns da sociedade que, julgando mal, dizem que a polícia não faz nada. Mas ledo engano, as policias fazem muito com pouco, chegando até mesmo a promoverem o milagre da multiplicação, haja vista não terem os investimentos necessários para o bom desempenho das investigações, aparato necessário para o bom desempenho das atividades. Enfim, o desgoverno, a falta de investimento na segurança pública, e uma sociedade acomodada e alienada com esta situação são os componentes responsáveis por um futuro caos social o qual já começamos a vivenciar seu início.
 

Em termos de prestação de conta, informo que de segunda a sexta-feira o CONSELHO TUTELAR encontra-se em pleno funcionamento em horário ininterrupto, ou seja aberto o dia todo, até as 17 horas. Todos os dias realizamos visitas, emitimos certidões de nascimento, requisitamos serviços seja na área da educação, saúde, social e etc. E nos fins de semana sempre há um CONSELHEIRO DE PLANTÃO POR MEIO DO TELEFONE CELULAR PARA ATENDER A POPULAÇÃO (84 9839-1070. Então, fazemos, e fazemos muito, ao ponto de eu te dizer, nobre amigo, que ganhamos muito pouco (R$ 724 reais, “com descontos ao INSS”), para dá a nossa cara a bater, para corremos risco de morte, de não termos horário certo para dormir, e ainda, de modo humilhante e constrangedor, ter que ouvir de algumas pessoas sem (in)formação de não fazermos nada.
 

Por fim, agradeço o espaço. E que DEUS abençoe as nossas crianças, elas são o nosso futuro, que DEUS abençoe o Brasil! EU AINDA NÃO PERDI A ESPERANÇA! "

sexta-feira, 21 de novembro de 2014

O Globo: Nasa prevê que planeta está à beira do colapso.


Crescimento previsto do consumo fará com que sejam necessários cinco planetas para abastecer a população
Foto: AFP 





Impérios como Roma e Mesopotâmia entre tantos outros, espalharam-se por territórios imensos, criaram culturas sofisticadas e instituições complexas que influenciaram cada aspecto do cotidiano de seus habitantes — até, séculos depois, e por diversas razões, sucumbirem. A civilização ocidental segue o mesmo caminho e está a um salto do abismo, segundo um estudo divulgado ontem pela Nasa. As raízes do colapso são o crescimento da população e as mudanças climáticas.

O estudo foi baseado em um modelo desenvolvido por um matemático da Universidade de Maryland. Safa Motesharrei analisou ciências ambientais e sociais e concluiu que a modernidade não vai livrar o homem do caos. Segundo ele, “o processo de ascensão-e-colapso é, na verdade, um ciclo recorrente encontrado em toda a História”.

“A queda do Império Romano, e também (entre outros) dos impérios Han, Máuria e Gupta, assim como tantos impérios mesopotâmios, são testemunhos do fato de que civilizações baseadas em uma cultura avançada, sofisticada, complexa e criativa também podem ser frágeis e inconstantes”, escreveu em seu estudo, financiado pelo Goddard Space Flight Center, da Nasa.

Motesharrei lista os ingredientes para o fim do mundo. O colapso pode vir da falta de controle de aspectos básicos que regem uma civilização, como a população, o clima, o estado das culturas agrícolas e a disponibilidade de água e energia. O Observatório da Nasa já constatou diversas vezes a multiplicação de eventos climáticos extremos, como o frio intenso do último inverno na América do Norte e o calor que, nos últimos meses, afligiu a Austrália e a América do Sul. Seus estragos paralisam setores vitais para o funcionamento da sociedade.

A economia também desempenha um papel importante. Quanto maior for a diferença entre ricos e pobres, maiores as chances de um desastre. Segundo a pesquisa, a desigualdade entre as classes sociais pauta o fim de impérios há mais de cinco mil anos.

Com o desenvolvimento tecnológico, agricultura e indústria registraram um aumento de produtividade nos últimos 200 anos. Ao mesmo tempo, porém, contribuíram para que a demanda crescesse de um modo quase incessante. Hoje, se todos adotassem o estilo de vida dos americanos, seriam necessários cinco planetas para atender as necessidades da população. Por isso, segundo Motesharrei e sua equipe, “achamos difícil evitar o colapso”.

A pesquisa da Nasa, no entanto, ressalta que o fim da civilização ainda pode ser evitado, desde que ela passe por grandes modificações. As principais são controlar a taxa de crescimento populacional e diminuir a dependência por recursos naturais — além disso, estes bens deveriam ser distribuídos de um modo mais igualitário.

No documento, a agência lida mais com análises teóricas. Outros estudos mostram como crises no clima ou em setores como o energético podem criar uma convulsão social.

Ignorância sobre o clima

Outra pesquisa, divulgada ontem pela Associação Americana para o Avanço da Ciência, faz uma espécie de cartilha para os principais debates sobre as mudanças climáticas.

Professor da Universidade da Califórnia, Mario Molina (vencedor do Nobel por ter descoberto a camada de ozônio) destaca que, devido às emissões de carbono, o clima é, hoje, mais imprevisível do que há milhões de anos. Molina alerta que os gases-estufa ficarão na atmosfera por mais de uma geração e que, por isso, é preciso tomar ações urgentes para reduz a emissão de gases-estufa.

Mesmo rodeado por fenômenos rigorosos, como nevascas e furacões, apenas 42% dos americanos acreditavam, em 2013, que a maioria dos cientistas estava convencido do aquecimento global. Molina ressalta que 97% da comunidade científica está certa da influência do homem. O relatório conclui que faltam informações básicas para a sociedade entender como é grave o momento atual.
Fonte: O Globo.

quarta-feira, 19 de novembro de 2014

Superação, esperança e acolhimento.

Entre as ilustres personalidades que prestigiaram a sessão solene do Jubileu de Prata do Templo da Boa Vontade, TBV, em 8/11, estava o professor doutor Jair de Carvalho e Castro, chefe do Serviço de Otorrinolaringologia, da 2ª Enfermaria da Santa Casa da Misericórdia do Rio de Janeiro.

Ao falar às mais de 100 mil pessoas que participaram dos 25 anos do Templo do Ecumenismo Divino, ele ressaltou o modelo de superação da escritora e conferencista norte-americana Helen Keller (1880-1968), que viu representada no Painel “A Evolução da Humanidade”, do Salão Nobre do TBV: “Eu, como médico, observei a figura de uma mulher americana que ficou cega e surda. Ela conseguiu ser uma grande ativista, a primeira pessoa a defender os direitos dos pacientes com deficiência física. É isso aí! Então, é exemplo para todo o mundo até hoje”.

Na sequência, o competente clínico nos transmitiu uma esperançosa informação: “Hoje, temos a felicidade de poder dizer, por exemplo, na minha área de atuação, que é a otorrinolaringologia, que ninguém precisa mais ficar surdo. Temos 99% de chance de trazer a audição para as pessoas. A audição é que coloca o ser humano em contato com outros. Temos a televisão, o rádio, mas é o som, é a voz humana que leva o carinho e leva a emoção para todos. Estou muito honrado, emocionado de conhecer esse trabalho. O Templo se destaca, se levanta acima do Planalto e abençoa os que aqui vêm do Brasil e do mundo”.

E prosseguiu: “Queria agradecer primeiro a vocês, legionários, porque sozinho ninguém faz nada. Se o presidente Paiva Netto construiu uma obra é porque se cercou de boas pessoas e de pessoas como vocês, que são o maior patrimônio da LBV”.

Exato! Não há estrutura — seja ela espiritual, material, social — que se torne expressiva sem o decisivo apoio de seres humanos e espirituais de Boa Vontade. Um país só realmente progride com a multiplicação dos bons caracteres e a capacidade realizadora de seu povo.

O dr. Jair teve ainda a gentileza de me encaminhar uma correspondência sobre sua estada no TBV, da qual compartilho com Vocês alguns trechos: “A viagem a Brasília foi um grande e maravilhoso momento, no qual pude observar que aqueles que têm o coração e a mente voltados para o bem comum e a felicidade adquirem uma Força Celestial. E esta se transforma em energia renovadora, que se expande para todas as partes deste nosso grande Brasil e além de nossas fronteiras, levando a palavra e Jesus para aqueles que Nele creem, acolhendo outras religiões e os que dizem que não têm nenhuma crença (a meu ver é uma forma de crença também).

“Agradeço a acolhida e a oportunidade de estar em um evento ímpar e da maior importância social e de acolhimento a uma multidão maior do que a maioria de nossas cidades; um encontro transmitido por quase 2 mil emissoras de rádio, TV e internet para o Brasil e vários outros países. (...)

“Forte abraço do amigo e admirador, Jair de Carvalho e Castro”.

 Ao amigo professor doutor Jair, o meu agradecimento e o fraterno abraço dos legionários da Boa Vontade.


José de Paiva Netto — Jornalista, radialista e escritor.

Vereador Antônio Kadson, do PMDB, é reeleito presidente da Câmara municipal de Água Nova/RN.

Imagem: Arquivo/google.
O presidente da Câmara Municipal de Água Nova, Antonio Kadson (PMDB), foi reeleito nesta terça-feira (18), para mais um mandato de dois anos. Kadson foi escolhido pelos 07 vereadores presentes, todos do seu partido, enquanto os dois de oposição, Robério (DEM) e Maria Gildete (PP) não compareceram na reunião.

Mantendo o princípio da proporcionalidade, tendo em vista que 07 dos 09 parlamentares são do PMDB, a Mesa Diretora também foi mantida.

Antônio Kadson integra a base aliada da prefeita Rafaela Carvalho (PMDB), e, pelo menos na avaliação da maioria de seus colegas, o mesmo vem contribuindo com as ações do Poder Executivo municipal, no sentido de tentar garantir melhorias na qualidade de vida da população águanovense. Vale lembrar que nas eleições de 2012 ele foi o vereador mais votado no município.

terça-feira, 18 de novembro de 2014

Na presença de Robinson, Henrique afirma que transparência é pré-requisito da boa governança.

Como divulgamos mais cedo, o governador eleito Robinson Faria (PSD) cumpriu agenda nesta segunda-feira (17), em Brasília, onde participou da reunião com os presidentes dos Tribunais de Contas de todo o Brasil.

Os 27 governadores eleitos receberam um diagnóstico minucioso sobre seis áreas de responsabilidade da União e das respectivas unidades federativas.

“Transparência nas ações e projetos do Governo do Estado será uma das marcas do governo Robinson”, essa foi a afirmação feita pelo governador eleito do Rio Grande do Norte Robinson Faria (PSD) ao presidente do Tribunal de Contas da União, Ministro Augusto Nardes.

Em seu discurso, o presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves, ressaltou a importância de se consolidar  princípios como transparência, participação, efetividade, responsabilidade corporativa e prestação de contas nas práticas de governança das instituições públicas. “Na Câmara, temos um plano de gestão estratégica que se funda nesses princípios. Instituído há cinco anos, ele se coaduna com as bases da boa governança, por formalizar as instâncias responsáveis pela coordenação, execução, controle e melhoria do processo de gerir estrategicamente toda a Casa”.


IMG_0242.PNG


Fonte: Blog do Heitor Gregório.

segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Câmara Federal votará amanhã segundo turno da PEC que aumenta em 1% o FPM


A votação em segundo turno da proposta que aumenta em 1% o Fundo de Participação dos Municípios (FPM) será o primeiro item da pauta do Plenário da Câmara dos Deputados amanhã terça-feira, 18 de novembro.

Com a aprovação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 426/2014, o Fundo Constitucional passará de 23,5% para 24,5%. Assim, os Municípios receberão 0,5% em julho de 2015 e mais 0,5% em julho de 2016.

Segundo informações obtidas pela Confederação Nacional de Municípios (CNM), a conquista municipalista de aumento no FPM está prestes a se concretizar. Após essa votação ficará pendente apenas a promulgação da matéria. O que deve ser feito pelo Congresso Nacional antes do recesso parlamentar. 

O Plenário da Câmara aprovou a matéria em primeiro turno durante votação ocorrida na noite do dia 4 de novembro. O texto de sugestão da proposta foi elaborado pela CNM e, a pedido da entidade, subscrita e apresentada no Senado, pela senadora Ana Amélia (PP-RS), e na Câmara, pelo deputado Renato Molling (PP-RS).

De acordo com o presidente da CNM, Paulo Ziulkoski, a PEC representa R$ 2 bilhões a mais no próximo ano e R$ 4,3 bilhões a mais em 2016. Segundo o líder municipalista, a medida deve ajudar os Municípios em um momento crítico, pois a economia tem crescido pouco nos últimos anos. Além disso, as transferências foram afetadas por causa das desonerações concedidas pelo governo federal. 
Fonte: Portal Rafael Fernandes.

sábado, 15 de novembro de 2014

Por trás da magnificência de uma toga há, na essência, sempre, um homem, igual a qualquer outro, repleto de anseios, angústias, esperanças e sonhos.

Rosivaldo Toscano dos Santos Junior - Juiz de Direito no Rio Grande do Norte. Nosso Rol Secreto de Arrependimentos

Estava numa comarca do interior, no início de carreira. Deparei-me com o caso de um acusado que, juntamente com um desconhecido, ingressou numa padaria, anunciou um assalto, levou o dinheiro do caixa e, durante a fuga, tomou a moto de uma mulher, fugindo em disparada. A motocicleta foi largada um quilômetro depois. 

A tese do Ministério Público era de tinha havido dois roubos – o da padaria e o da moto, o chamado concurso material de crimes. A tese da defesa era de crime continuado., em que se condena por um só crime, com um pequeno aumento pelo segundo.

Quando fui fazer a sentença, veio à cabeça uma dúvida não aventada pelas partes: se a moto foi subtraída com a intenção de apenas garantir a fuga, já que ela foi encontrada intacta e devolvida logo depois, seria justo condená-lo por isso? Não seria essa segunda pretensa subtração caso de post factum impunível e que não foi levantada pela defesa em razão do despreparo técnico do defensor dativo? Ou seria arrependimento eficaz?

Ainda inexperiente e inseguro, faltou coragem para rechaçar a pretensão do Ministério Público naquele momento, pois temia um possível apelo e a reforma da sentença pelo tribunal, que tinha uma linha muito dura nesses casos. Aí se deu meu erro: fui me aconselhar sobre a existência do post factum impunível logo com quem? Com o amigo e combativo promotor de justiça, que também chamamos de Parquet. Obviamente, como era parte na causa ele reiterou sua tese e procurou rechaçar as teses de crime continuado e de post factum impunível. Destacou que o acusado era  reincidente e que também respondia por um furto cujo interrogatório já estava aprazado. 

Informalmente, e sem perceber, aquele diálogo com o Parquet  terminou sendo mais importante para a  formação de um juízo sobre o destino da causa do que a leitura fria das razões das partes.

Um juiz deve perder tudo, menos a isenção. Por dar tratamento privilegiado ao Parquet em relação à defesa, foi exatamente isso que me aconteceu naquela tarde. Resultado: condenei o réu duas horas depois, amparando na íntegra a tese do MP de dois roubos qualificados, a uma pena de uns treze anos de reclusão.
O inconsciente, contudo, não me absolveu. Algo estava fora do lugar. Procurei, no início, racionalizar e justificar que aquele homem merecia a pena maior porque era degenerado. Mas depois passei a sentir um certo desconforto ao pensar no caso nos dias que se seguiram à assinatura da sentença. Ele foi crescendo. Até esperei um recurso da defesa, mas ela silenciou. Houve o trânsito em julgado e, assim, a decisão se tornou imutável. Não havia mais o que fazer. Logo depois me arrependi conscientemente da decisão. A angústia era sintoma de que havia cometido um grave erro: transigido com as minha próprias convicções. Senti a angústia em silêncio, na solidão da toga.

Dias depois veio o interrogatório do acusado no segundo processo que o envolvia. Era um furto cometido por ele na mesma época. Confessou tudo. Encerrada a audiência, ele pediu humildemente para falar comigo e disse, com olhos rasos d’água, exatamente o que eu não queria ouvir:

- Doutor, o senhor cometeu uma grande injustiça comigo naquele outro processo. O senhor me condenou por dois roubos, mas só peguei a moto para fugir! Eu depois a larguei com a chave na ignição.
 Poderia ter me escondido por trás de uma resposta fria e ratificadora da decisão já tomada. Até me veio isso. Poderia simplesmente repetir os fundamentos do parquet. Mas não seria honesto com ele

Foi duro dizer, mas respondi:
- Você tem razão. Eu errei. Na época não avaliei bem. Analisando melhor hoje, não o condenaria pelo roubo da moto. E o pior é que não há nada a fazer em relação a esse caso. Já até estudei uma revisão criminal. Seria uma espécie de reavaliação do seu caso. Mas nem isso cabe porque embora concorde com você hoje, a tese do Promotor está juridicamente embasada e só caberia uma revisão se fosse uma coisa absurda.

Eu sabia que quando respondesse à primeira pergunta, seria fatalmente feita uma segunda. E já sabia até seu teor:
- Dá pra dar um jeito em relação a essa acusação de agora? Sei que vou ser condenado de novo.
- Saiba que se fosse possível, o faria, mas infelizmente não é possível compensar as penas. Cada caso é um caso. Saiba também que irei carregar comigo essa culpa.
O leigo não percebe, mas a função de julgar é, muitas vezes, indigna. Um ser repleto de imperfeições julgando o outro...

Foi duro, na posição de juiz, admitir o erro para o próprio acusado, mas acho que ele merecia essa consideração. Foi uma medida de respeito à sua individualidade. E essa abertura para com o outro me permitiu tirar uma lição a partir desse caso: o juiz deve sempre dar paridade de armas às partes.

Acho que essa experiência também me fez um juiz muito mais reflexivo, isento e atencioso com as partes e com as causas, respeitando as regras do jogo. A isonomia de tratamento das partes e a cautela para evitar prejulgamentos são as bases que que alicerçam uma decisão justa.

Agindo assim, diminuí, acredito, a probabilidade de novos erros. Mas não há como evitá-los de maneira absoluta: os tropeços fazem parte até mesmo das melhores trajetórias de vida. Saibam:  somente os juízes absolutamente inexperientes não tem seu rol secreto de arrependimentos. E para alguns, inconfessáveis até para si próprios.

É como digo na chamada do blog:

“Por trás da magnificência de uma toga há, na essência, sempre, um homem, igual a qualquer outro, repleto de anseios, angústias, esperanças e sonhos.”

sexta-feira, 14 de novembro de 2014

"Rafaela é o que se pode traduzir de uma invencionice política do pai, o coronel Iromar", diz Magno Martins em seu blog.

NOTA:
Vale ressaltar que o Água Nova News não detém nenhuma responsabilidade com relação ao conteúdo veiculado no blog em questão, zelamos pela imparcialidade da informação, disponibilizando, inclusive, do espaço para direito de resposta caso seja solicitado. Após ler a matéria, deixe seu comentário expressando sua opinião, se concorda, ou não, com as informações mencionadas pelo autor da obra. Evite o anonimato.

"Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes:


IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;  

V - é assegurado o direito de resposta, proporcional ao agravo, além da indenização por dano material, moral ou à imagem." ( CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL DE 1988).

Abaixo a matéria do Blog do Carlos Martins: 

 

A igreja em destaque na única rua da cidade, onde ficam também a Prefeitura e a Câmara

ÁGUA NOVA (RN) – Com apenas 3.003 habitantes, Água Nova, no Alto Sertão Oeste do Rio Grande do Norte, a 416 km de Natal, capital do Estado, é um ponto geográfico perdido no mapa potiguar, extremamente desconhecido. Um vazio demográfico assustador. Seu perímetro urbano é composto, na verdade, por duas ruelas, a que entra e a que sai da cidade.

Tem apenas 792 duas casas, uma das maiores taxas de analfabetismo do Estado e uma dependência extrema de Pau dos Ferros, de onde se emancipou e para onde manda até hoje seus filhos enfermos por falta de hospital. Politicamente, é um curral eleitoral, uma sesmaria nordestina sob o manto do coronelismo, que deu a Dilma 90.71% dos votos, a maior votação do Estado, a sexta do País.

De cada dez dos 1.801 eleitores que foram às urnas no segundo turno da eleição presidencial, nove votaram em Dilma, que teve 1.679 votos, enquanto o tucano Aécio Neves pode contar com apenas 172 votos, que ninguém sabe de onde saíram, porque, oficialmente, nenhuma liderança apoiou o candidato do PSDB.

A oposição atribui os votos ao coronel Francisco Iromar Carvalho, filiado ao PMDB, que apoiou Marina Silva no primeiro turno. Iromar a maior expressão de mando na pobre e abandonada Água Nova. Nunca foi testado nas urnas, mas a sua força perpetua a família no poder há 12 anos.

A irmã Eliene Carvalho governou os dois mandatos anteriores e depois entregou a Rafaela Carvalho, sua sobrinha, estudante de Odontologia, filha do coronel, a patente de prefeito de direito, porque de fato quem governa é o pai, o coronel Iromar. Marido da prefeita, o médico Wilton, exibe com orgulho o título de “prefeita mais jovem do Estado potiguar e a segunda mais jovem do País”, com apenas 26 anos.

 
Prefeita Rafaela Carvalho (PMDB) - Foto: Reprodução/Google
Rafaela é o que se pode traduzir de uma invencionice política do pai. Criada em Natal, aterrissou na cidade faltando poucos dias para a eleição. A oposição diz ela não conhece a geografia política do município nem igualmente os seus problemas. O mando do pai é tão predominante que, além de assumir a chave do cofre, nomeando-se secretário de Finanças, colocou Leonardo Carvalho, primo legítimo da prefeita, na Secretaria de Planejamento.
 
 

Rosineide Nascimento, presidente do Sindicato dos Servidores e fundadora do PT 

“A lei do nepotismo não existe na cidade de Água Nova”, protesta Rosineide Nascimento, fundadora do PT, presidente do Sindicato dos Servidores Municipais. Segundo ela, não existe diálogo do poderoso nem da prefeita com o Sindicato, porque a cidade é governada sob o mandato do coronelismo. “O Iromar é um coronel que reina absoluto na cidade”, reconhece a petista.

 

Ronaldo de Souza (PROS), ex-vereador do município.

 Segundo o ex-vereador Ronaldo de Souza (PROS), hoje a principal liderança de oposição no município, que enfrenta o coronel sem medo, tão logo a prefeita foi eleita em 2012, com 1.326 votos, 60% dos votos válidos, derrotando Yria Guenes, uma candidata inventada de última hora pela oposição, seu salário pulou de R$ 7,8 mil para R$ 16,125 mil.

Um valor absurdo, aprovado pela Câmara de Vereadores no início do mandato dela, mas vigorando com data retroativa, pois a lei obriga a definição do subsídio do prefeito eleito na legislatura anterior. “Eles burlaram a lei e ficou por isso. Uma prefeita embolsar R$ 16 mil numa cidade em que 70% da sua população vive abaixo da linha de pobreza é uma agressão”, diz Ronaldo.

 
 

Casas de taipa exibem o retrato da pobreza em Água Nova 

E é de fato, pois Água Nova é tão pobre que ainda existem muitas famílias morando em casa de taipa, não há hospital, falta água nas torneiras, a seca devastou a lavoura do caju, milho e feijão, que sustentavam a sua economia, e 542 famílias se penduram no programa Bolsa Família para escapar da morte, que antes do programa de transferência de renda mandava recado que estava chegando pela seca.

  
Máquinas do PAC com desvio de finalidades em obras 

O abuso de poder pela família Carvalho é flagrante. Vigilante oposicionista, Ronaldo já denunciou ao Ministério Público que as máquinas do PAC, o chamado kit seca, doadas ao município pela União, já foram flagradas em obras que não se adequam ao que determina o Ministério do Desenvolvimento Social, como um campo de futebol. E até o carro pipa, do mesmo kit, foi visto abastecendo a casa do coronel.

“Já mandei a sugestão para a Rede Globo, que vem apresentando no Fantástico a série de reportagens “Cadê o dinheiro”, para dar uma passadinha em Água Nova. Aqui, desapareceram os recursos para o campo de futebol, um centro cultural e até um pórtico de entrada da cidade, avaliado em R$ 136 mil, segundo consta no Portal da Transparência”, disse o ex-vereador.

Concursada da Prefeitura recebe Bolsa-Família

  
Zeladora concursada da Prefeitura, Maria José de Oliveira recebe Bolsa-Família 

O programa Bolsa Família, que contempla 522 famílias em Água Nova também tem gritantes irregularidades como as que esta série de reportagens constatou em Potiretama, no Sertão cearense. As suspeitas de que servidores da Prefeitura são contemplados foram confirmadas em Serra das Almas, uma das comunidades mais pobres do município.

Lá, não foi preciso andar muito para encontrar gente com renda acima do valor exigido pelo MDA para se cadastrar. É o caso da zeladora Maria José de Oliveira, 37 anos, mãe de oito filhos, funcionária concursada pela Prefeitura. “Perdi a noção do tempo que recebo a Bolsa”, diz ela ao exibir o cartão.


Sede da Prefeitura de Água Nova


Pela Prefeitura, Maria José recebe salário mínimo para trabalhar numa escola municipal a 100 metros de onde mora, no alto da serra, de onde se avista a cidade abaixo. Já pelo Bolsa, percebe R$ 230. “É a minha salvação, meu filho, pois está difícil meu marido arranjar um bico com essa seca desgraçada”, afirmou.

Na Serra das Almas moram 35 famílias, todas praticamente beneficiárias do Bolsa Família. Quem ainda não está recebendo já fez o cadastro e está na expectativa, embora tenham corrido rumores por lá de que haveria cortes no programa. A água de beber para a comunidade, atingida por uma seca que já dura três anos consecutivos, chega por carros pipas do Exército.
Como presidente do Sindicato dos Servidores, Rosineide Nascimento afirma que antigamente, quando tinha mais tempo, costumava acompanhar os cadastros do Bolsa Família para identificar distorções. “Como aqui é uma cidade muito pequena, a gente vendo a lista dos beneficiários pode saber quem tem o direito de receber ou não o auxílio e confesso que antes, não sei agora, não havia irregularidades gritantes”, assinala.


Francisca Pereira diz que teve medo de perder a bolsa e por isso votou em Dilma 


Residente na comunidade do Sonhazão, dona Francisca Pereira da Costa, 58 anos, está contemplada pelo programa há mais de seis anos. É o típico do beneficiário que está dentro do padrão de normalidade, pois não tem renda e nem é aposentada, sendo dependente do programa para manter uma família inteira.
“Não fosse essa bolsa eu nem sei o que seria da gente”, confessa, para em seguida revelar que votou em Dilma com medo de perder a ajuda. “Diziam que se ela não fosse eleita o programa ia acabar, foi só o que a gente ouvia aqui pelas nossas redondezas durante a campanha eleitoral. Por isso, não apenas eu, mas toda minha família, inclusive meus filhos que moram em São Paulo votaram na Dilma”, afirmou.


PT admite influência dos programas sociais
O próprio PT em Água Nova admite que a influência do Bolsa Família foi decisiva para o município dar, proporcionalmente, a maior votação a Dilma no Rio Grande do Norte. “Não podemos negar o peso eleitoral do programa”, afirma a petista Rosineide Nascimento, que atribui também ao fato do Governo ter aberto universidades na região e escolas técnicas, o que motivou, no seu entender, o voto jovem.
O que Rosineide e seu marido, o blogueiro Li Dantas, também fundador do PT, não se convencem é da influência do coronel Iromar. “Até porque ele fez campanha para Marina no primeiro turno. Na eleição de 2010, Dilma teve aqui a maior votação do País. Isso é um reconhecimento aos efeitos dos programas gerais do Governo”, afirma Li.
Vereadora de oposição, Gildete do Nascimento (PP), professora da rede estadual, afirma que não viu, em nenhum momento, o grupo da prefeita fazer campanha para Dilma. “Quem fez Dilma aqui a mais votada foi o Bolsa Família. Basta você multiplicar por três os votos dos 542 contemplados que você chegará ao número total de votos que ela teve”, diz.


Dona Apolônia votou em Dilma, mas queria EduardoDona do único restaurante da cidade, dona Apolônia, 66 anos, que não costuma se envolver em política, tem a mesma opinião dos petistas e da oposição. “Aqui, foi devolvida a Dilma o favor que ela faz a esse povo sofrido, que vive da ajuda da bolsa”, diz, adiantando que votou na presidente por falta de opção.

“Eu queria, na verdade, era poder ter votado em Eduardo. Achava ele lindo, afetuoso e transmitia uma alegria irradiante, além de nos passar muita confiança”, disse. Dona Apolônia ressalta que chorou a morte do ex-governador pernambucano como se tivesse perdido um filho. “Foi uma dor terrível, até hoje ainda choro. Era fã dele, quando via que a televisão ia trazer notícia dele eu corria para assistir”, destacou.

Fotos: Magno Martins e Otávio Souto.
Edição: Ítala Alves

Clique AQUI e acompanhe na integra.

Receba novidades pelo Facebook

Matérias Mais Acessadas

Rede Oeste Supermercados - Agora de Segunda a Sábado

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Desenvolvido por Elton Carvalho.